segunda-feira, 21 de outubro de 2013

DE BRASÍLIA - Por Nilo Dias – Jornalista

Uma homenagem merecida

Os organizadores da Feira do Livro deste ano em São Gabriel foram  felizes na indicação do amigo Carlos Vieira Gonçalves, diretor do jornal “O Imparcial”, para patrono do evento. A escolha também serviu para corrigir uma grande injustiça que se prolongava há vários anos, já que “O Imparcial” é o decano dos jornais locais, e merecia ser lembrado nessas festas culturais.
Afinal de contas são 82 anos de excelentes trabalhos prestados à coletividade gabrielense. E se não fosse o diretor Carlos Vieira Gonçalves, talvez hoje o jornal não existisse mais. E eu sei quantos sacrificios foram exigidos para que essa longa caminhada não tivesse fim.

O povo é responsável

Aquele ditado de que ninguém “prega prego, sem estopa”, é verdadeiro. Prova disso é a indicação de jornalistas vinculados a um órgão de imprensa da Capital, para concorrerem a cargos no Executivo e Legislativo. Nada contra, pois a Constituição garante a qualquer cidadão tal direito. O que acontece é que os nomes em pauta não tem um passado ligado a atividades que de aguma forma beneficiassem os cidadãos.
Apenas trabalham para um órgão de imprensa que lhes garante visibilidade e popularidade, no meu ver
atributos que em nada garantem uma participação política efetiva, inovadora e capaz de melhorar o caos que se instalou em nossas casas legislativas nos últimos anos.
Eleições atrás, esse mesmo grupo jornalistico enfiou goela abaixo do eleitorado um candidato cuja única credencial era ser o homem que divulgava a previsão do tempo no rádio e TV. É por essas e outras que eu responsabilizo o eleitorado por tudo de ruim que acontece em nosso país.
As escolhas não devem ser feitas pela popularidade de alguém, sim pelo que realizou pelo povo em sua história pessoal. Hoje é comum termos jogadores de futebol, artistas e religiosos engrossando as listas de candidatos aos cargos elegíveis possíveis, desde prefeito até Presidente da República, passando pelas câmaras de vereadores, assembléias legislativas, Câmara Federal e Senado. Isso precisa ter um fim. 

Trabalhando pela Vila Maria

A Associação dos Moradores da Vila Maria (Amovima), uma das mais antigas da cidade, vem fazendo um elogiável trabalho na busca de melhorar a vida de quem reside naquela simpática comunidade. A atual Diretoria, que tem a frente o incansável Rodrigo Cardoso Machado, em apenas um ano e meio já fez muitas coisas boas. Entre elas, conseguiu inaugurar sua sede, onde os moradores podem levar suas justas reivindicações.
Também organizou dois “Mutirões da Saúde”, quando a população teve acesso a verificações de pressão e teste de glicose, tudo gratuito. E “Mutirão Solidário”, onde foram oferecidos, entre outros, serviços gratuitos de cabelereiro, em parceria com a Escola Tecnica New Life. E ainda proporcionou vários shows com gente da terra, como o “Grupo Pancadão” e bandas “Freelance” e “Estylo Livre”, bem como a Companhia de Dança Valéria Lacerda.
E as coisas não param por aí. A Associação, que não tem vínculo político-partidário com ninguém, pretende em breve firmar parcerias para oferecer cursos profissionalizantes aos moradores da Vila Maria e bairros vizinhos.