quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Coluna do Mainardi

Política para a Erva Mate

Estivemos em Arvorezinha na última quarta-feira, participando do Seminário Estadual de Produção de Mudas de Erva Mate. Esta cultura tem recebido uma atenção especial da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio. Em conjunto com os pólos ervateiros do Estado, criamos o Instituto Brasileiro do Mate e estamos prestes a lançar o Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Erva Mate. O lançamento deve ocorrer no mês de novembro, na Turismate, O setor, em função do desestímulo do passado recente, reduziu a produção o que tem causado, na disputa entre oferta e demanda, a prática de preços elevados para o produto. Nossa proposta é expandir a oferta da matéria prima, de produtos e sub-produtos não só no mercado brasileiro, mas para todo o mundo onde houver consumidores. Para isso, precisamos de políticas que estimulem o produtor a voltar plantar a erva mate e desenvolver ações para que utilizem mudas de boa qualidade. Aproveitamos, ainda, para sugerir a criação de uma associação de caráter estadual para representar os viveiristas, para que estes possam, de forma organizada,
ter uma interação com a indústria e com os produtores, buscando compartilhar soluções para os problemas.

Mais alimentos

Comemoramos, nesta semana, o Dia Mundial da Alimentação. Data importante para uma reflexão sobre os nossos desafios enquanto gestores públicos, das entidades e da iniciativa privada que, direta ou indiretamente, atuam na produção de alimentos. Nosso compromisso, no Governo do Estado, sob a coordenação do governador Tarso Genro, é continuar estimulando o aumento da produção com mais qualidade. Vemos um grande futuro para as cadeias produtivas do setor primário, especialmente a partir da projeção do crescimento da população mundial nos próximos 40 anos. A ONU estima que sairemos dos atuais sete para nove bilhões de pessoas no mundo. Nosso País e, particularmente, nosso Estado reúne todas as condições para atender boa parte da demanda mundial por alimentos. Aqui no Estado, nosso desafio é estimular o aumento da produtividade e da produção de alimentos ambientalmente sustentáveis, de qualidade e com controle sanitário efetivo. 

Mais produção

Por isso, lançamos programas como o Mais Água, Mais Renda, que deve, até o final do próximo ano, provocar o crescimento da área irrigada no Estado de pouco mais de 100 mil hectares, verificados no início de nossa gestão, para cerca de 300 mil hectares até o final do próximo ano, excetuado a cultura do arroz, que é totalmente irrigado. A irrigação é determinante para aumentar a produtividade. No milho, por exemplo, com irrigação podemos produzir o triplo numa mesma área. Na soja, pelo menos o dobro. Devemos, também, irrigar pastagens para obter pastagem de qualidade para alimentar o rebanho de corte e de leite. Estamos revitalizando a Emater e a Fepagro e fortalecendo o Irga. Nosso Governo é o único entre todos os Estados a lançar um Plano Safra que, combinado com o Plano Safra Federal, disponibiliza crédito barato para os investimentos necessários à modernização do processo produtivo. Queremos identificar o rebanho gaúcho para possibilitar o rastreamento, uma exigência dos mercados que melhor pagam no mundo. Estamos focados no aumento da produção para gerar mais renda ao produtor rural. 

Defesa Agropecuária

Entregamos, no último sábado, mais dois veículos do programa Dissemina para os municípios de Dom Pedrito e Santana do Livramento. Nesta semana, contemplamos os municípios de Bossoroca, Maçambará, Santo Antônio das Missões e Unistalda. Também entregamos dez novas Inspetorias Agropecuárias revitalizadas nos municípios de Giruá, Boa Vista do Buricá, Três de Maio, Horizontina, Tucunduva, Santo Cristo. Alecrim, Horizontina, Cândido Godói e Bossoroca. Estas ações fortalecer o nosso sistema estadual de defesa agropecuária. 

Luiz Fernando Mainardi
Deputado Estadual / Secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio