quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Daury Bonilha - Colunista

Esse é obviamente o período mais notável e importante do ano, para todos e para tudo. Mas, afinal porque toda essa expectativa? Ora... todos nós sabemos que tudo se “assanha” na sociedade, nessa época o que se deve ao fato bem familiar à todos, embora não saibam realmente a causa natural disso. Primeiramente o que se deve considerar sobre tudo é a movimentação o faturamento, a circulação de negócios, as farras, o esbanjamento, e etc. Porem a causa primordial desse ânimo o povo desconhece, lamentávelmente!
As religiões cristãs comemoram evidentemente, como se isso que acontece no mês de Dezembro, extraordinariamente ou exclusivamente, devesse-se ao fato do nascimento de Jesus Cristo, o que não procede pois, se sabe que essa movimentação no comportamento de todos, esse ânimo diferente que
sentimos, inclusive n’outros reinos alem do nosso, todos e tudo sentem as ondas ultra sutis (ondas cósmicas) vindas ou oriundas do incognoscível quão poderoso Amor celeste- o Criados de tudo. No entanto, essa alegria e renovação dos ânimos e deve à efusão do Amor que acontece nesta época do ano de 15 a 30 de Dezembro infalivelmente, devido a incidência de radiações cósmicas especiais, não apenas à nossa mãe-terra mas inclusive à outros mundos, outros universos alem do nosso Éfeso!
Entretanto, como fator convincente, prestem atenção sobre o reino animal, animal irracional e observem que o Amor flui mais forte, não apenas sobre nós racionais mas também em todos os reinos vitais, inclusive o insetívoro, e até alem deste pois, inclusive os seres microscópicos sentem comprovadamente -  como vida básica na matéria densa pulsa harmoniosamente alimentada pelo Amor Verdadeiro. O Amor é tudo... é a vida, a felicidade, a harmonia, é a justiça e a verdade, sendo no entanto a razão da existência da própria vida que está nele. Fora dele é o fim, a morte.
Á priori, gostaríamos que pelo menos alguns de nossos leitores, recebessem esta matéria como mensagem renovadora e libertária de conceitos anacrônicos e arcaicos. Raciocinassem e refletissem livremente, principalmente sobre esse falso amor que impera sobre a sociedade de modo opressor, soberbo, preconceituoso, mas totalmente alheio ao verdadeiro e Soberano Amor.
Observem que após a euforia comercial, logo que passa o mês de Dezembro voltam todos, ou a maioria, a entediar-se, à apatia do cotidiano!