sexta-feira, 13 de abril de 2012

Identificados autores de homicídio no calçadão


A equipe de investigação da Polícia Civil de São Gabriel, com o apoio, experiência e competência do delegado Jader Ribeiro Duarte, identificou, ainda pela manhã de ontem (12), a autoria do crime que levou a morte do jovem Luis Fernando da Silva Machado, vulgo Negão, de 26 anos, no calçadão de São Gabriel.

Machado, que era morador da Rua Maria Adelaide, 41, Bairro Santo Antônio, foi executado na noite de quarta-feira (11), entre 22h45 e 23h15, com exatamente quatro facadas. A arma branca, apreendida pela Polícia Civil, tratava-se de uma faquinha de mesa, a qual foi afeada tornando-se um objeto altamente cortante com ponta fina.
Em uma investigação bastante séria, a Polícia Civil, nas primeiras horas da manhã de ontem, já havia iniciado com os trabalhos de ouvir alguns suspeitos e teve confirmada a autoria direta de Maicon Lisboa Schultz, vulgo Riberri, e Giovane de Oliveira Rodrigues, vulgo Raio, os quais confessaram a posse e uso da arma branca, a qual efetuou as facadas e consequentemente a morte de Machado.
Os dois acusados confessaram que estavam reunidos em grupo, na praça central e logo após no calçadão, bebendo cachaça com energético e que o indivíduo Giovane, conhecido como Raio possuía um desentendimento anterior com a vítima (Machado), que na ocasião estaria muito embriagado. Segundo informações, uma das testemunhas teria afirmado que minutos antes do crime, Giovane Raio teria dito que iriam “fazer o cara”. Raio admitiu ter se deslocado até a residência de sua tia e pego a faca que atingiu a vítima, retornando até o local onde teria avistado Machado anteriormente buscando, justamente, reencontrá-lo.
Os dois acusados admitiram terem sido autores das facadas.
O Delegado de Polícia afirma estar indiciando os dois confessos, por Homicídio Qualificado por motivo fútil e por impossibilidade de defesa por parte da vítima, sendo que eram quatro pessoas armadas desferindo facadas contra um único indivíduo embriagado e desarmado.
Os acusados tiveram prisão preventiva decretada pela Justiça no momento em que assumiram o crime e foram encaminhados diretamente para o Presídio Estadual de São Gabriel.
Outros dois envolvidos responderão pela lesão corporal, por terem efetuado algumas agressões, sem uso de armas ou objetos cortantes contra a vítima.