segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Programa DST Aids realiza atividades para divulgação do teste rápido para diagnóstico do HIV

Para facilitar o diagnóstico do HIV e antecipar o tratamento de pessoas que podem desenvolver a Aids, o Ministério da Saúde deve autorizar a venda, em farmácias, de um teste rápido para detectar o vírus, a partir de fevereiro de 2014. Produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o exame é feito em apenas 20 minutos, através da coleta de saliva pela própria pessoa, e deverá custar em torno de R$ 8. Na Rede Básica, a Secretaria Municipal de Saúde – através de equipes do Programa DTS
Aids - tem realizado atividades para divulgar teste rápido no Município. Na segunda-feira passada (02/12) foram realizadas coletas na sede da Secretaria. Na próxima semana serão definidos novos locais. Na Prefeitura Municipal, o trabalho será disponibilizado no Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC). De acordo com a enfermeira Rosângela Boher, responsável pela execução do Programa DST Aids em São Gabriel, durante o mês de dezembro serão realizadas atividades para divulgação do teste. Esse trabalho acontecerá em locais estratégicos. Hoje, o RS é o Estado de maior incidência de aids no Brasil e muitas pessoas estão contaminadas e ainda não sabem por que não realizaram o exame anti-HIV, “por isso a importância do diagnostico precoce através da realização do teste. O exame é gratuito e sigiloso”, explica. SEMINÁRIO - O Programa Municipal DST Aids realizou nos dias 26 e 27 de novembro, o 1º Seminário do Programa Saúde e Prevenção nas Escolas com a participação das secretarias de Saúde, Educação, Assistência Social e Unipampa,  integrando as atividades do Dia Mundial de Luta contra a Aids registrado no dia 1° de dezembro. O Seminário apresentou um relatório de dados colhidos em 11 escolas que integram o projeto. Segundo a enfermeira, foi apresentada uma análise situacional - através de gráficos e estatísticas - referente aos temas propostos na pesquisa, como gravidez na adolescência, DST e uso de drogas. Também foram realizadas palestras por profissionais médicos, psicólogos e enfermeiros. O público alvo foram professores, enfermeiros e integrantes da comunidade.