segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

DE BRASÍLIA - Por Nilo Dias – Jornalista

Opções gastronômicas

Certamente existem hoje mais de 20 restaurantes em São Gabrel. Nada contra, muito pelo contrario. É sinal que a cidade tem condições de absorver um número expressivo dessas casas. E isso tem tudo a ver com a nova forma de vida das pessoas, que agora, na maioria, não vão mais até suas casas para almoçar. É algo que começou nas grandes cidades e se espalhou país afora, do comércio não fechar ao meio-dia.
Eu lembro que antigamente as lojas só reabriam depois das duas da tarde. Era a época de “sestiar”, algo que hoje está reservado às pessoas mais velhas, que já se aposentaram, ou aquelas que são donas do seu próprio nariz. Eu, por exemplo, como já cumpri minha jornada profissional, vez que outra me dou ao luxo de tirar uma boa soneca depois do meio-dia.
O mais importante nessa história toda, é que hoje São Gabriel conta com excelentes opções gastronômicas, não só para o dia a dia, mas também para ocasiões especiais. Não estou na cidade, mas fico sabendo de tudo o que acontece por aí, graças ao milagre das comunicações exposto na Internet, especialmente.

Tanto é verdade que já fiquei sabendo da inauguração sexta-feira da semana passada, de uma nova e especial casa na cidade. Creio que é única nos moldes em que se apresenta. O Sinuka’s bar, restaurante, churrascaria, lancheria e padaria, é idéia inovadora do empresário Andrei Grant de Oliveira, que tem tudo para dar certo. Fica na Mauricio Cardoso, ao lado da Escola Celestino Lopes Cavalheiro. 

Mulheres que brilham

Dia 20 de dezembro o Clube Comercial estará realizando mais uma edição de sua grande promoção anual, “Mulheres que brilham”, um evento marcante na sociedade local. Na ocasião serão homenageadas mulheres que se destacaram em várias atividades em nosso meio.
Os primeiros nomes que receberão à distinção já são conhecidos: Lurdinha Lederes, Márcia Britto, Candinha Chiapetta, Cláudia Pereira, Fernanda Teixeira, Marilia Capisani, Ana Paula Scopel, Ana Rita Teixeira, Dália Pereira de Souza, Alzira Elaine Leal e Fernanda Coirolo. 

O fim da farra

A “PEC do Diploma” já foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, em Brasília. Agora resta pouco para que seja votada em plenário e se torne lei. Isso vai acabar com a farra imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2009, que garantiu durante algum tempo o direito de exercer a profissão de jornalista, a quem não estava habilitado para tal.
A PEC ainda precisa ser analisada por uma Comissão Especial e, se aprovada, vai a Plenário onde será votada em dois turnos. E a partir daí, com certeza, o diploma será exigência para que alguém seja empregado na atividade, em emissoras de rádio e TV, redações de jornais e assessorias de imprensa.
Colaboradores não vão precisar do diploma. São aqueles que produzem trabalhos de natureza técnica, cientifica e cultural. E nem para quem comprovar que já exercia a profissão antes da data da promulgação da futura emenda constitucional. E ainda para o jornalista provisionado que já tenha obtido registro profissional. 

(E-mails: nilodt@hotmail.com, nilodias@ibest.com.br e nilogaucho@folha.com.br)