quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Sete municípios da Fronteira Oeste são contemplados com o Programa de Fomento à Inclusão Produtiva

Nesta quarta-feira (20/11), aconteceu, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais, em Alegrete, o lançamento do Programa de Fomento à Inclusão Produtiva, que integra as ações do Plano Brasil Sem Miséria e RS Mais Igual. O programa é desenvolvido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR) e Emater/RS-Ascar. Os municípios contemplados são Alegrete, Barra do Quaraí, Itacurubi, Santana do Livramento, São Borja, São Gabriel e Uruguaiana. 

Durante a abertura do evento, o coordenador regional da SDR, Alcedir Drum dos Santos, destacou que o programa contempla um público, muitas vezes, esquecido. Além disso, “incentiva a inclusão produtiva destas famílias, contemplando todas as classes produtoras”, concluiu. 
Já o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Luis Fernando Fabrício, falou que o programa permite levar as políticas públicas para o público em situação de extrema pobreza. “É a possibilidade de fazer extensão rural com a população que precisa. A Emater é o elo, o braço executor do programa”, afirma. 
Fabricio explicou que os extensionistas da Emater/RS-Ascar não devem entender o programa como mais uma tarefa e, sim, “como um programa que contempla os princípios e diretrizes da Instituição, que é promover a inclusão social das famílias em condição de extrema pobreza”, destaca. Além disso, Fabricio fala sobre a importância de potencializar as ações através dos trabalhos em parceria. 
Na sequência, a engenheira agrônoma da SDR e coordenadora do Programa de Fomento à Inclusão Produtiva, Janete Basso Costa, realizou a apresentação do programa. Janete explica que está sendo realizado um roteiro em todo o Estado com o lançamento do programa, que está na segunda etapa e deve contemplar mais de 200 municípios. 
Janete apresentou um histórico da agricultura no Rio Grande do Sul. Conforme a engenheira agrônoma, 30 mil famílias encontram-se em situação de extrema pobreza, ou seja, mais de cem mil pessoas. Nesta etapa, 11 mil famílias (agricultores e pecuaristas familiares, pescadores, comunidades indígenas e quilombolas) receberão o fomento no valor de R$ 2.400. Alguns requisitos são necessários para acesso ao fomento, entre eles, possuir renda per capita de até R$ 70 mensais, estar inscrito no Cadastro Único e possuir Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP). 
Na Fronteira Oeste, 150 famílias serão contempladas. Nos municípios de Alegrete, Barra do Quaraí, Itacurubi e São Gabriel serão 20 famílias em cada e, em Santana do Livramento, São Borja e Uruguaiana, 30 famílias. A coordenadora do programa será a SDR e a executora, a Emater/RS-Ascar.
Cerca de 30 pessoas prestigiaram o evento, entre elas o prefeito de Alegrete, Erasmo Guterres da Silva, o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alegrete, Jesus Alzir Fernandes Dorneles, e representantes de entidades dos sete municípios. 


Filantropia da Ascar 

Durante o evento, o gerente regional da Emater/RS-Ascar Luis Fernando Fabrício convidou as entidades parceiras a participar da audiência pública em defesa da Assistência Técnica e Extensão Rural e Social Gaúcha, com o objetivo de garantir o Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (Cebas/Filantropia) da Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural (Ascar). O evento acontece dia 2 de dezembro, às 10h, no Casa do Gaúcho, localizada no Parque da Harmonia, em Porto Alegre. 
Fabricio declarou “fomos surpreendidos com ações que questionam a filantropia e o caráter social da Emater”. Para ele, o Programa de Fomento à Inclusão Produtiva visa contemplar as atividades que já são desenvolvidas pelos escritórios municipais. “O programa é o elo fundamental para dar continuidade ao trabalho, mas para isso precisamos de uma Emater fortalecida. Necessitamos do apoio da sociedade”. 
Na região administrativa de Bagé da Emater/RS-Ascar serão realizadas, no período de 3 a 6 de dezembro, audiências públicas municipais em defesa à filantropia da Ascar.