sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Religiosos comemoram Dia Nacional da Umbanda nesse 15 de Novembro


 No dia 15 de Novembro comemora-se o Dia Nacional da Umbanda. A informação é do Presidente da UNEAFRO, Homero Costa, que afirmou que a Comissão de Educação do Senado Federal, instituiu no dia 20 de março de 2012, o dia 15 de Novembro como a data comemorativa à religião.
"Muitos irmãos se uniram em torno desta antiga busca de reconhecimento da religião mais brasileira de todas, iniciada em 1908 pelo então desconhecido, mas já iluminado Zélio Fernandino de Moraes, que com muita luta iniciou o movimento Umbandista no Brasil, o qual estendeu-se por todo o mundo. Hoje, sendo valorizada como modo de vida e valorização do planeta através do respeito a natureza e conscientização dos direitos e respeito ao ser humano, talvez  a Umbanda seja a religião que aceita a todos seus fieis sem preconceitos ou cobranças, apenas buscando a valorização do seu eu interior e
a verdadeira força da Fé e da crença de que tudo é possível através da educação, de formas de ver e levar a vida saudável e amando seu semelhante", afirmou.
A Umbanda é uma religião brasileira que sintetiza em si vários elementos absorvidos, inclusive de outras religiões como o catolicismo, o espiritismo, as religiões afro-brasileiras e a religiosidade indígena. A palavra umbanda deriva de m'banda, que em quimbundo significa "sacerdote" ou "curandeiro". Acredita-se também que a palavra Umbanda seja uma derivação da expressão "a banda de um", em homenagem a seus fundadores: Zélio Fernandino de Moraes e seu guia espiritual, Caboclo das Sete Encruzilhadas. Com origens variadas - dependendo da vertente que a pratica - suas raízes são difusas. 
Segundo umbandistas, a religião foi criada em 1908 pelo Médium Zélio Fernandino de Moraes, sob a influência do Caboclo das Sete Encruzilhadas, porém, antes disso, já haviam indícios da presença de guias espirituais na história brasileira - por exemplo: na época das senzalas, os negros escravos costumavam incorporar o que hoje chamamos de Pretos-Velhos, que para eles, eram antigos escravos que, ao darem-se incorporados, compartilhavam conselhos e consolo aos atuais escravos -, assim como religiões ou simples manifestações religiosas espontâneas cujos rituais envolviam incorporações e o louvor aos orixás. Entretanto, foi através de Zélio que organizou-se uma religião com rituais e contornos bem definidos à qual deu-se o nome de Umbanda.
Conceito segundo F. Rivas Neto
"O conceito de Escolas das Religiões Afro-brasileiras foi desenvolvido por F. Rivas Neto. O autor sustenta, por exemplo, que na Umbanda: '(…) pela diversidade dos seus adeptos, há também uma diversidade de ritos e de formas de transmissão do conhecimento. A essas várias formas de entendimento e vivência da Umbanda denominamos escolas ou segmentos. (…) As várias escolas correspondem a visões, umas voltadas mais aos aspectos místicos e outras mais voltadas à essência espiritual, abstrata. Embora não haja consenso quanto à ritualística, que são várias formas de interpretar e manifestar a doutrina, a essência de todos é a mesma e todos são legitimamente denominados umbandistas.'"
São Gabriel tem se tornado durante as últimas décadas um importante pólo da religião Afro-Umbandista. Cada vez se nota mais a incidência de terreiros abertos e pessoas nas fileiras desta religião e, segundo Costa "somos muitos hoje e já notadamente uma comunidade organizada na busca de seus direitos de afirmação na sociedade trabalhando ao lado das organizações mais respeitadas da mesma, no direito a igualdade na adversidade e respeito às diferenças. Todos somos iguais perante a Lei e à Constituição Federal".