quarta-feira, 4 de abril de 2012

Mulher acusada de matar o marido está em liberdade

Manoel Tibiriçã Junior era gerente do Supermercado Peruzzo

O jovem Manoel Tibiriça Leão Dias Júnior, 27 anos, gerente do Peruzzo Supermercados foi morto a facada, na sexta-feira, dia 23. A mulher dele, Lucilene Bitencout é acusada de ter cometido o homicídio.
O crime aconteceu na residência do casal, na rua Adelino Zago, 62, bairro Pinheiro. Mesmo ferido, Júnior dirigiu por cinco quadras, até a casa do pai, na rua Pérsio Nicola, bairro Cidade Jardim, para pedir socorro. O Samu foi chamado por volta das 22h15min, encontrando a vítima dentro do carro, em frente a casa. Júnior estava inconsciente e com as vísceras expostas. Segundo o Samu, ele teve uma hemorragia interna muito grave devido à perfuração de órgãos vitais.
Dentro da ambulância ele sofreu duas paradas cardíacas. Foi levado para o Pronto Socorro, e de lá foi para o Hospital de Caridade Dr. Victor Lang, onde morreu.
De acordo com a Brigada Militar, Lucilene Bitencourt Machado, teria admitido aos policias que deu a facada no marido. Ela foi presa em flagrante e encaminhada à Delegacia de Polícia.
Conforme a delegada Fabiane Bitencourt, a acusada preferiu não se manifestar. No sábado, dia 24, pela manhã, ela foi levada para o Presídio Estadual de Caçapava, onde ficou presa até as 19h30min da segunda-feira, dia 26. A informação é do jornal Gazeta de Caçapava.
O que serviu para fazer o flagrante é o fato de que ela confessou o homicídio contra o marido. Como ela não prestou nenhum esclarecimento, surgem algumas hipóteses sobre os motivos que a levaram a fazer isso, mas até o momento não há nenhuma confirmação.
- Na terça-feira, dia 27, o pai da vítima foi ouvido na delegacia. Na quarta feira, foi ouvido o filho do casal, um menino de 7 anos, que teria presenciado o crime. Mesmo que Lucilene não tenha dado o depoimento, os familiares e pessoas próximas podem ajudar a esclarecer os fatos - disse a delegada.

Morte abalou colegas de trabalho
Júnior começou a trabalhar aos 15 anos no Mercado do Alemão. Os anos de dedicação ao trabalho e aos estudos resultaram na promoção para gerente. Quando a empresa foi vendida para a rede de lojas Peruzzo, Júnior iniciou como fiscal de caixa, mais tarde passou para analista de loja e depois foi promovido a sub-gerente e a gerente. Primeiro, na loja da rua Benjamin Constant, e há um ano gerenciava a loja da rua 15. Em dezembro de 2011 fez quatro anos que trabalhava na rede.
Colegas contam que Júnior não mediu esforços no período em que as obras de ampliação no prédio da rua 15 estavam sendo executadas. O jovem deu início e acompanhou de perto os trabalhos. Para a reinauguração, ele costumava trabalhar de madrugada e sonhava com o término da reforma.
- Júnior sempre foi uma pessoa discreta, pessoal e profissional. Quando assumiu a loja da rua 15 conseguiu resgatar profissionais que estavam desmotivados e unir a equipe. Para muitos era considerado como um pai, sempre disposto a ajudar - contou um dos colegas.
Uma pessoa dedicada Filho único do casal Manoel Tibiriça e Arlete Dias, Júnior é descrito pela mãe como uma pessoa muito amável, tímida e dedicada. Ele vivia com Lucilene há dez anos e não costumava comentar sobre a relação do casal.
- Nunca falou sobre problemas ou brigas com a mulher, mas percebíamos algo de diferente na relação deles. Ele sempre foi muito dedicado ao trabalho e isso incomodava Lucilene. Ela é uma pessoa de temperamento difícil, as vezes até agressivo. O sonho do meu filho era comprar um carro novo e há duas semanas ele conseguiu realizar isso. Na quarta, nos vimos pela última vez no mercado e na sexta, pela manhã, conversamos por telefone. Perguntamos se estava tudo bem e ele, como sempre, respondeu que sim. Perdemos nosso filho amado e tudo que queremos agora é ficar com o nosso neto. O Júnior nunca será substituído, mas se pudermos cuidar do filho dele, nossa dor será menor - desabafou a mãe. (Gazeta de Caçapava)