sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Coluna do Mainardi

Mais trigo

Desafiamos a Câmara Setorial do Trigo, coordenada pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, a elaborar documento que se constitua em referência para a implantação de políticas públicas ao longo da próxima década, tendo como norte duplicar a produção neste período e melhorar a qualidade do que produzimos hoje no Rio Grande do Sul. Atualmente, plantamos um pouco mais de um milhão de hectares e temos espaço para dobrar a área plantada, elevando a produção para seis milhões de toneladas, com o que seria possível atender a demanda interna e exportar o excedente, fazendo que os gaúchos abasteçam pelo menos a metade do mercado nacional. Possuímos tecnologias, equipamentos, terra, clima e mão de obra
qualificada para atingir estas metas e gerar mais renda para produtores e para toda a economia do Estado.

Mais Grãos

Lançamos, no último domingo, em Arroio do Tigre, juntamente com o governador Tarso Genro, o programa RS Mais Grãos, que combina estímulos à ampliação da secagem e armazenagem nas propriedades, com a diversificação da produção e a utilização de irrigação. Nossa meta é atingir 30 mil propriedades nos próximos dez anos, entre as quais 20 mil que se dedicam à fumicultura. Para estas, criamos uma política de reembolso de 30% do valor que vier a ser financiado para a construção ou reforma dos atuais secadores de fumo, que ficam ociosos durante nove meses por ano. Os secadores serviriam, também, para armazenar o milho e o feijão, plantados na resteva do tabaco, aproveitando dos efeitos residuais da adubação feita para o fumo. Culturas que, irrigadas, poderiam produzir duas ou três vezes mais do que produzem hoje. Com a estocagem na propriedade, oferecendo ao produtor a possibilidade de vender no melhor momento de mercado. Nosso objetivo é aumentar em 150% a área plantada com milho na safrinha, elevando a produção para mais de dois milhões de toneladas. Contamos, nesta iniciativa, com muitas parcerias, entre as quais a Afubra e o Sinditabaco, que exercerão papel estratégico na consolidação do programa. 

Todos contra a aftosa

Estamos iniciando mais uma etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa. Nossa meta é vacinar cerca de seis milhões de bovinos e bubalinos, com idade inferior a 24 meses, até o dia 30 de novembro. O Governo do Estado investiu cerca de R$ 11 milhões de reais neste ano na aquisição de aproximadamente oito milhões de doses de vacinas que são distribuídas gratuitamente para aqueles produtores que se enquadram nos critérios do Pronaf ou da legislação que define o pecuarista familiar. É fundamental, para mantermos nossos status sanitário, de estado livre da aftosa com vacinação, que os produtores mantenham-se vigilantes e imunizem seus rebanhos. Não podemos retroceder e voltar a ter focos de aftosa, que não prejudicam apenas a pecuária, mas, de forma direta ou indireta, todas as cadeias produtivas do setor.

Mais inspetorias renovadas

Entregamos, nesta semana, aos produtores de Gravatai, Glorinha e Osório mais três Inspetorias de Defesa Agropecuária reformuladas. Chegamos a 61 das 248 inspetorias existentes modernizadas.

Luiz Fernando Mainardi
Deputado Estadual / Secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio