sexta-feira, 27 de junho de 2014

Produtores expõem sua preocupação com estado das estradas

Prefeito pede paciência e diz que “estradas estão boas para quem tem camionete tracionada”

Uma audiência pública convocada pelo Sindicato Rural de São Gabriel e realizada no salão nobre da entidade na tarde desta quarta-feira, 25 de junho, debateu soluções para os problemas de trafegabilidade nas estradas rurais de responsabilidade do Poder Executivo Municipal. O encontro reuniu dezenas de produtores rurais das mais diversas localidades do interior, e contou com a presença das autoridades diretamente ligadas ao setor. O prefeito municipal Roque Montagner, compareceu juntamente com o vice-prefeito Evandro Guedes, o secretário de Transportes Éder Barbosa e o secretário de Administração Ricardo Alves Gomes. No encontro, coordenado pelo presidente do Sindicato Rural Tarso Teixeira, compareceram ainda os vereadores Paulo Sérgio Barros (PDT), Adão Santana (PTB), Caio Flávio Lopes Rocha (PP) e Dórian Bicca Bragança (PSB), além de lideranças de entidades representativas do setor rural, como o presidente da Associação dos Arrozeiros Paulo César Lederes, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais Zeferino Barbosa, e representantes de órgãos de imprensa.

O Executivo falaAo fazer sua manifestação, o secretário Éder Barbosa tratou de dizer que é um homem trabalhador, e que tem a humildade e maturidade de reconhecer que precisa dos produtores. “Eu proponho que formemos uma comissão em que os produtores, juntamente com o governo, organizem o serviço para que as estradas sejam arrumadas”. A proposta foi rechaçada pelos produtores. “O produtor rural não tem que agora ficar fazendo parte de comissões para organizar frentes de trabalho, este é o trabalho do secretário”, ressaltou Tarso Teixeira. Disse ainda que a secretaria está operacionalizando um trabalho de base, lutando pelo licenciamento de novas jazidas.Na sua manifestação, o prefeito ressaltou que estão por chegar ao município três novas máquinas, inclusive uma patrola destinada à conservação das estradas internas e dos acessos dos assentamentos da reforma agrária, maquinas provenientes de emendas dos deputados Paulo Ferreira e Dionilso Marcon, ambos do PT. “As estradas não estão tão ruins para quem tem camionete tracionada. O pequeno é que sofre”, disse o prefeito, que ainda pediu a paciência dos produtores. “Peço que os produtores sejam nossos parceiros e tenham paciência. Nosso projeto é trabalharmos em parceria, a prefeitura entrando com as máquinas e os produtores com as caçambas, para fazermos o conserto dos principais eixos de produção”, assinalou.As sugestões coletadas farão parte de um plano de trabalho que será acompanhado e avaliado nos próximos trinta dias, em nova reunião pré-agendada para 23 de Julho, quarta-feira, às 14 horas no salão de atos do Sindicato Rural. “Da forma como está, não dá mais para ficar. O Sindicato Rural está sempre ao lado do produtor, e para o associativismo rural, produtor não tem tamanho, seja ele grande ou pequeno. O prefeito, sendo também um produtor rural, certamente estará atento às reivindicações da classe, que precisa de estradas decentes para o escoamento de sua produção”, ressaltou o presidente do Sindicato Rural de São Gabriel, Tarso Teixeira.     SolidariedadeMuitos produtores rurais presentes expressaram solidariedade com o trabalho do Sindicato Rural, e discordaram das afirmações feitas a respeito da entidade por um parlamentar da base governista. “Não devemos nos preocupar com esse tipo de crítica. O presidente Tarso segue fazendo um trabalho elogiável”, ressaltou o produtor rural e ex-vereador José Carlos Rodrigues Dias.  “Conheço o trabalho dedicado do Tarso e do Sindicato Rural, também sou dirigente de entidade, e sei que às vezes críticas surgem, mas quem tem trabalho para mostrar, como o Tarso tem, não se intimida com elas”, assinalou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Zeferino Barbosa. 
RECLAMAÇÕES – Diversos produtores se manifestaram sobre os problemas que enfrentam com o estado das estradas municipais. “Conversei com motoristas de ônibus e eles tem dito que a ida até a Formosa tem levado mais de três horas por causa da estrada”, ressaltou o vereador Paulo Sérgio Barros. “Não entendemos por que razão as turmas de servidores que vão para arrumar as estradas chegam no trecho às 9h da manhã e depois voltam pra cidade no horário de almoço, reduzindo o tempo de serviço no trecho para cerca de duas horas por turno. Eu sou um dos produtores que se põe à disposição para fornecer alimentação aos produtores no local para agilizar os serviços”, ressaltou. “É preciso que a secretaria de Transportes tenha um mínimo de planejamento, técnicos concursados que saibam planejar e construir estradas. As últimas que foram de fato construídas foram em 1983. Sem profissionalismo, não será resolvido o problema”, disse o produtor Ricardo Bragança, do corredor da Reiúna. “Muitas vezes, o serviço ao invés de aprimorar a estrada, apenas retira material para o acostamento”, observou Felipe Nobre, do sub-distrito de Azevedo Sodré.  “Nós, produtores de soja, temos prazos e contratos a cumprir. Eu já não pude cumprir um prazo de entrega no mês passado, e nesse mês vou atrasar de novo, simplesmente porque a estrada não está em condições. Esses prejuízos já estão atrapalhando a própria economia e o desenvolvimento do Município”, ressaltou o produtor Sérgio Giuliani.